Ralis

Filipe Nogueira brilha nas 2RM em Viana do Castelo

621visualizações

No 10º Rali De Viana do Castelo – Cidade Europeia do Desporto 2023, Filipe Nogueira e João Vieira somaram pela quarta vez em outras tantas oportunidades, a pontuação máxima numa prova do Campeonato Promo de Ralis Duas Rodas Motrizes 2022, logrando ainda serem sétimos da geral.

Foi mais uma demonstração de toda a capacidade que a dupla ostenta aos comandos do seu Peugeot 208 VTI R2.

Sempre muito rápidos e eficazes nas difíceis condições em que se disputou a prova organizada pelo Clube Automóvel de Santo Tirso, pois mesmo com a ausência quase total de chuva, os pisos apresentaram-se sempre muito sujos e escorregadios, Filipe Nogueira ombreou sempre com os mais rápidos das 2RM e da geral da prova, registando sempre tempos muito competitivos coroados com o domínio entre os inscritos no Campeonato Promo de Ralis Duas Rodas Motrizes, garantindo ainda uma posição firme entre os que discutiram o Yop 10 absoluto no Promo.

“Terminamos o Rali de Viana do Castelo com mais uma pontuação máxima!”, destacou Filipe Nogueira no fecho da prova. “Concluímos assim mais uma época de ralis em Viana do Castelo e, numa recheada lista de quase 100 participantes, onde faltavam apurar vários campeões e o nível competitivo foi muito alto, terminamos num excelente lugar à geral e fomos os mais fortes nas 2 rodas motrizes, entre os concorrentes inscritos no Campeonato Promo de Ralis”, acrescentou.

O resultado de topo e a exibição a condizer, contaram, segundo o piloto, com o excelente desempenho dos pneus Kumho: “em Viana, como em todos os ralis, os pneus Kumho foram um excelente aliado, especialmente neste rali com condições tão inconstantes. Fiquei mais uma vez surpreendido pelo grande desempenho dos pneus, que foi, diria, perfeito!”.

Depois, Filipe Nogueira não deixou de ser acutilante na crítica que fez à primeira edição deste Campeonato Pomo de Ralis: “foi uma época onde em todos os ralis garantimos os pontos do 1° lugar para as 2 Rodas Motrizes, o que nos permitiria ser segundos classificados no final do campeonato, não fosse um artigo do regulamento verdadeiramente ridículo que desclassificou todos as equipas que pontuaram com a exceção de uma. Foi um campeonato estranho, pouco competitivo, onde em algumas provas houve poucos inscritos e por isso qualquer posição que alcançasse não significaria muito. Sinceramente ser campeão só por ser, ou só porque sim, não me diz nada. Poderíamos ter alinhado em mais uma ou duas provas, se fosse esse um objetivo a qualquer custo, mas não é isso que nos move. Com todo o respeito e sem querer tirar qualquer mérito a quem foi campeão. Preferia ter disputado um campeonato “normal”, mas pelo que todos sabem, foi o que foi!”.

Quanto à razão de só ter participado em quatro provas, o piloto é taxativo: “o nosso budget não nos permitiu alinhar em todas as provas. Foi pena porque, tivemos uma época tranquila e sem qualquer desistência, ou problema no Peugeot 208, o que revela o excelente profissionalismo dos que nos acompanham em termos técnicos. A todos o meu muito obrigado também. Como sempre dignificamos e divulgamos da melhor forma todos os nossos parceiros que nos acompanham. A eles mais uma vez um agradecimento especial. A todos os colaboradores, amigos e adeptos da modalidade, um muito obrigado pelo apoio e grande envolvimento com este desporto especial”.

Deixe uma resposta